10 doenças comuns no verão e como evitá-las

Quando o verão chega, algumas doenças tornam-se mais frequentes, devido às características próprias desta estação. O calor intenso somado à umidade formam um clima propício para a proliferação de fungos e bactérias.

Com o verão, algumas doenças contaminam com mais facilidade, pois aumenta a aglomeração de pessoas em locais públicos,o contato com a água do mar e das piscinas, por exemplo. Para curtir a estação sem preocupação, é fundamental ter hábitos mais saudáveis.

Confira as 10 doenças comuns no verão e como evitá-las:

  1. Desidratação

 

A desidratação é um problema caracterizado por uma baixa disponibilidade de água no organismo. A água é uma das mais importantes substâncias, sendo responsável por diversos processos fundamentais para a nossa sobrevivência, tais como a regulação da temperatura e a eliminação e transporte de substâncias.

Em virtude da incapacidade de armazenarmos essa substância, devemos frequentemente fazer a sua reposição para garantir o bom funcionamento do corpo. A baixa disponibilidade de água, juntamente à perda considerável de sais minerais, gera um quadro conhecido como desidratação.

Para evitá-la, é preciso beber muita água e manter uma alimentação saudável e equilibrada, para também repor os sais minerais que o corpo acaba perdendo.

  1. Insolação

 

Também conhecida como heliose, a insolação é um mal-estar decorrente da exposição prolongada ao sol intenso ou ao calor. Os sintomas mais frequentes são dor de cabeça, queimaduras na pele, tontura, febre e desidratação.

Para tratar a insolação basta ficar em um ambiente com sombra e bem arejado e beber muita água, as vezes também é preciso beber soro caseiro. Tratar as queimaduras e a febre com cremes e remédios indicados para isso.

 

  1. Micoses

 

Micose é o nome genérico dado a várias infecções causadas por fungos. Em condições favoráveis, como ambientes com muita umidade e calor excessivo, os fungos reproduzem-se e podem dar origem a um processo infeccioso que pode ser superficial ou profundo.

Alguns cuidados preventivos contra as micoses são:

– Secar bem as regiões de dobras do corpo, como axilas, dedos dos pés e virilha.

– Evitar usar calçados muito fechados, dando preferência aos mais ventilados.

– Usar chinelo ou sandálias em locais muito úmidos, como banheiro e áreas de piscina.

– Evitar compartilhar toalhas, roupas, escovas de cabelo e chapéus, pois esses objetos podem transmitir fungos.

– Evitar roupas muito quentes e com tecidos pesados, pois prejudicam a transpiração da pele.

– Usar o próprio material na manicure, como alicates, lixas e palitos de unha.

  1. Intoxicação alimentar

 

No verão, o corpo fica mais vulnerável à ingestão de alimentos que possam estar contaminados, devido ao armazenamento inadequado. Como as pessoas costumam ir à praia e clubes de piscina, optam por alimentos fornecidos nesses locais, como pastéis, petiscos, salgadinhos, entre outros. Este cenário é propício para a intoxicação alimentar.

Os sintomas apresentados pela pessoa intoxicada são: náusea, vômitos, diarreia, dor abdominal e febre. Para evitar a intoxicação alimentar alguns cuidados são necessários:

– Evite comer em locais que a higiene é duvidosa.

– Lave sempre as mãos antes de comer e de preparar os alimentos.

– Na praia ou no clube, opte por levar lanches preparados em casa, bem refrigerados em isopor ou cooler.

– Cozinhe bem os alimentos.

– Beba água fresca e demais bebidas, como sucos e cerveja, sempre refrigeradas.

Se apresentar sintomas de intoxicação alimentar, procure hidratar-se bem e procurar a ajuda de um médico.

 

  1. Otite

 

Otite é a inflamação do ouvido médio e pode apresentar os seguintes sintomas: irritabilidade, dor de ouvido, presença de secreção, febre, sensação de pressão no ouvido e problemas de audição.

Na maior parte dos casos, a otite costuma durar apenas alguns dias. O tratamento envolve compressas quentes e analgésicos (com indicação médica). Dependendo do tipo, pode haver a necessidade do uso de medicação tópica e, nos casos mais graves, o uso de antibióticos.

 

  1. Infecção urinária

 

Infecção urinária é a presença anormal de microrganismos em alguma região do trato urinário. É decorrente da presença de agentes infecciosos em alguma parte do sistema urinário, embora possa afetar indivíduos de ambos os sexos, é mais observada em mulheres.

Dentre as manifestações clínicas observadas estão os sintomas:

– Dor e ardência ao urinar.

– Vontade de urinar diversas vezes ao dia e em pequenas quantidades.

– Urina com mau odor e coloração alterada.

– Hematúria (urina com sangue) em certos casos.

Para evitar a infecção urinária é recomendado a ingestão de bastante água, urinar assim que sentir vontade e depois de ter relações sexuais, limpar-se sempre de trás para frente e evitar o uso prolongado de biquínis e maiôs molhados.

  1. Brotoeja

 

Brotoeja é uma erupção cutânea formada por pequenas lesões vermelhas relacionadas ao calor. Embora seja mais frequente em bebês e crianças, também ocorre com pessoas adultas. A brotoeja consiste em uma dermatite inflamatória causada pela obstrução das glândulas sudoríparas, o que impede a saída do suor, e aparece nas dobras do corpo, como axilas, atrás dos joelhos e pescoço.

Quando surgem brotoejas o tratamento consiste em:

– Usar roupas leves

– Evitar banhos muito quentes

– Usar sabonetes neutros

– Evitar exposição solar por longos períodos

– Fazer compressas frias

– Aplicar pomadas (com recomendação médica)

  1. Fitofotodermatose

 

A fitofotodermatose ocorre pelo contato de determinadas substâncias, principalmente de algumas frutas cítricas e exposição solar, promovendo um processo inflamatório, causando manchas escuras e até queimaduras na pele.

Para evitar o surgimento dessas manchas e queimaduras alguns cuidados são necessários:

– Evite mexer com frutas cítricas estando exposto ao sol

– Evite fazer ou consumir caipirinha, limonada, sucos de frutas e picolés cítricos ao se expor ao sol

– Se manipular alguma fruta cítrica, lave bem as mãos

– Se comer alguma destas frutas, lave bem a boca logo após o consumo

– Evite usar perfumes quando se expôr ao sol

Cuidado também com bergamota, figo verde, lima, manga, nabo e tangerina, que também podem causar a fitofotodermatose e manchar a pele.

  1. Dengue

 

A chegada do verão aumenta o alerta contra a dengue!

Por ser um período muito quente e com muitas pancadas de chuva, a velocidade de reprodução do mosquito Aedes Aegypti é ampliada. Além da dengue, também há preocupação quanto à zika e chikungunya.

As ações necessárias para evitar essas doenças são:

– Guarde as garrafas sempre com o bico para baixo

– Não deixe água acumulada em pneus e vasos de plantas

– Limpe as calhas da casa

– Coloque os lixos em lixeiras com tampa

  1. Bicho-de-pé

 

Bicho-de-pé ou tungíase é uma infecção de pele causada pela fêmea do parasita Tunga penetrans. A contaminação ocorre quando a pessoa pisa no solo contaminado sem proteção nos pés.

A infecção causa lesões que ocorrem principalmente nas plantas dos pés, o parasita produz sintomas iniciais, como uma mancha avermelhada e leve dor local. Em seguida, os sintomas que podem são:

– Erupção na pele, com um ponto preto no centro e branco à volta

– Coceira

– Dor e desconforto

– Presença de secreção transparente ou amarelada

Para prevenir o bicho-de-pé, é ideal usar calçados em locais com areia (principalmente se estiver úmida) e por onde passam muitos animais domésticos, como cães e gatos. Areia da praia também pode abrigar esse parasita, então é importante manter-se atento.

Curta o verão com responsabilidade!

Hospital Nossa Senhora Aparecida

Rua Cristovão Gomes de Andrade, 665 – Camaquã/RS

(51)3671-7900


Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/funbeca/www/blog/wp-includes/functions.php on line 3783

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/funbeca/www/blog/wp-includes/functions.php on line 3783